BLOG

Postado em 29/08/2019
NOTÍCIAS

<< Voltar

O GRANDE VILÃO, O PLÁSTICO?

Pessoal, não tenho indústria plástica ou qualquer tipo de indústria, porém não podemos culpar os plásticos de serem os vilões que prejudicam a fauna marinha. Reflita comigo, quem prejudica o meio ambiente é o produto plástico ou o ser humano?
Ultimamente temos ouvido, direto nas mídias, que os plásticos são prejudiciais para a fauna marinha. Existe campanhas contra os canudinhos e outros materiais plásticos, as sacolinhas nos supermercados por exemplo, o fornecimento foi suspenso e depois retornaram.
O grande problema é a educação do povo brasileiro. O plástico sempre existiu, o plástico é um material reciclável, porém temos uma crescente utilização e descarte irregular deste material, que impacta diretamente no meio ambiente.
O que causa transtorno ao meio ambiente, não é a utilização do plástico, papel, madeira, alumínio, ferro entre outros materiais e sim a disposição incorreta jogando nas ruas e o seu arraste cai nos bueiros, que vão parar nos rios, dos rios aos oceanos e assim a cadeia se completa.
O que não falam é sobre a quantidade de lixo depositada inadequadamente, jogada nas ruas, nas praias e que é um problema antrópico, isso é, do ser humano. Se cai alguma coisa na rua, não nos abaixamos para pegar e isso irá parar em algum lugar.
As chuvas são os veículos desses materiais depositados inadequadamente e que vão parar nos rios e consequentemente é consumido pela fauna. O problema do canudo é que é rígido, porém leve, a sacolinha fica em movimento e a fauna marinha facilmente a confunde como alimento. Esse material acumulado no estômago do animal, ou em outras partes do corpo em grande escala leva a óbito prejudicando as espécies e seu desenvolvimento.
Os profissionais da área não dizem que nos estômagos desses animais são encontrados outros tipos de materiais, como palitos, papéis, entre outros.
Nos impressionamos quando os japoneses vieram para a copa do mundo e recolheram todo o lixo que deixaram nos estádios e o que não produziram. O grande problema do povo brasileiro é que não aprendemos nada com a atitude deles, continuamos jogando lixo nos lugares errados.
A cultura dos japoneses é essa, praticam trabalhos voluntários diários se reunindo para coletar lixos nas ruas de Tókio, após o trabalho, evitando que esses vão parar nos rios, mitigando os impactos ao meio ambiente e protegendo a fauna aquática.
Temos mania de reclamar do poder público que não limpam as ruas, não desentopem bueiros – pergunto! Quem causou tal transtorno?
É só vir uma chuva pesada que observamos a quantidade de lixo que passa em nossas portas, é só olhar as enxurradas.
O grande problema do nosso povo é a educação, quer seja com relação ao meio ambiente, no trânsito, no transporte público ou entrar na contramão porque é um trecho curto. Isso acontece porque queremos sempre levar vantagem, pois somos egoístas e não permitimos que o próximo tenha sua vez, furando filas, andando em acostamentos, jogando lixo nas ruas, bitucas de cigarros e outras ações. Se queremos ser uma das potências mundiais, pois temos condições para tanto, temos que nos preocupar com essas pequenas coisas, pois o mundo não é feito de espertos e sim daqueles que respeitam o próximo.
O brasileiro tem a triste mania de enaltecer o que é feito e praticado no exterior, porém não reproduz internamente, no seu meio de vida. Isso tem que mudar.
Lembro que em Santos no passado tinha aquele monte de lixo espalhado pelas praias. A prefeitura para preservar o meio ambiente implantou uma campanha operação verão com a distribuição de sacolinhas plásticas para dispor os resíduos/lixos e depois colocar nas respectivas lixeiras. Claro, não preciso nem dizer que isso deveria ser nossa obrigação levar uma sacolinha de casa e colocar o lixo no lugar certo, mas isso não ocorre. Nós somos mal acostumados, se não nos derem na mão, fingimos não saber o que deve ser feito. Mesmo assim, vemos até hoje as sacolinhas deixadas na praia e também quando voa a sacola vazia, deixamos voar.
Espero ter contribuído para tocar um pouco nas nossas consciências, sendo necessário que todos reflitam sobre o que podemos fazer para melhorar o nosso meio ambiente, o que praticamos que prejudica o próximo.
Proteger o meio ambiente é questão de saúde pública, pense nisso.


CONSCIENTIZAÇÃO
Como disse na outra matéria, nossas ações são muito importantes para a proteção ao meio ambiente e também melhorar as condições do país, fazer a economia crescer. Claro, não posso deixar de falar da corrupção que também impede o crescimento, mas que também está ligada à nossa cultura e educação.
Temos que investir em educação ambiental não somente nas escolas, mas também para os adultos. O governo tem que orientar os cidadãos sobre tais questões, os ativistas devem fazer campanhas de redução de lixos nas ruas e em aterros sanitários.
Dessa forma, é muito importante que façamos nossa parte não nos espelharmos nas ações erradas de nossos vizinhos e devemos sim, cobrá-los e orientá-los da melhor forma possível.


Lembre-se: quando jogamos alguma coisa fora, não existe o fora, em algum lugar do planeta vai parar.
Temos abraçado uma causa muito importante que é a reflexão das pessoas que leem nossas matérias e possam praticar alguma coisa que falamos aqui na forma de educação ambiental.
Caso tenha dúvidas ou queira desenvolver um plano de educação ambiental e/ou sustentabilidade dentro de sua empresa, escola ou outro local a MRA Serviços Ambientais poderá desenvolver um programa que atenda suas necessidades.
www.mraservicosambientais.com.br