BLOG

Postado em 01/11/2017
NOTÍCIAS

<< Voltar

Gerenciamento Ambiental

O gerenciamento ambiental nas indústrias vem sendo uma atividade crescente, visto que as empresas têm sido pressionadas tanto pelo órgão ambiental como pelos fornecedores e clientes.

As empresas têm desenvolvido alternativas para o gerenciamento ambiental, de modo a não onerar os seus produtos finais conforme segue:

1. O tratamento de efluentes líquidos, industriais e sanitários de modo a reusar o seu efluente tratado, evitando o descarte deste e reduzindo tanto o consumo de água e conseqüentemente o esgoto que em São Paulo é na proporção de 1:1.
Este trabalho está crescente nas indústrias e tem que ser avaliada as características da água inicial e desenvolver um tratamento apropriado para as necessidades dos clientes com o menor custo x benefício necessário.
A estação de tratamento de efluentes líquidos, abaixo na foto, representa um volume de aproximadamente 60 m³/mês sendo 100% reaproveitado para uso industrial, tendo uma economia média de R$ 1.400,00/mês considerando que anteriormente o custo de tratamento era externo.
Desta forma, apesar do custo do tratamento, a empresa ainda economiza com o reuso de água, evitando o consumo de água limpa para fins menos nobres.


Estação de tratamento de efluentes líquidos


2. Com relação aos resíduos sólidos gerados, temos que inicialmente fazer um trabalho de segregação dos resíduos de acordo com o tipo e a destinação final, como exemplo, temos os resíduos plásticos que são divididos em diversos tipos que são todos recicláveis, devendo ser estudado todos os tipos e sua destinação final.
Os resíduos sólidos deverão ser inventariados e verificados a destinação atual, cabendo ao gerenciador identificar se, a destinação final está adequada e desenvolver um plano de resíduos sólidos, contendo alternativas para a destinação final adequada.
Um caso típico, os panos utilizados, onde empresas adquirem trapos, retalhos ou utilizam estopas gerando um resíduo final contaminado tendo que destinar para incineração e quando é desenvolvido um trabalho de substituição por panos reciclados com empresas externas, este custo de destinação final deixa de ser seu, portanto quando colocamos na ponta do lápis os custos, temos uma economia considerável com relação a atual. Para implantação de uma coleta seletiva de resíduos industriais, temos que primeiramente fazer um treinamento com os colaboradores da empresa.
A foto abaixo nos mostra uma mistura de lixo no interior de um processo produtivo na qual dificulta a reciclagem, portanto teremos que fazer um trabalho de segregação, orientando os colaboradores para realizar um trabalho segregado.


Lixo misturado sem condições para reciclagem



Por outro lado mostramos agora os resíduos de papéis que estão segregados e são comercializados pela empresa com poder de venda gerando uma receita.


Papéis gerados no processo produtivo que será enfardado e posteriomente reciclado.


3. Nas emissões atmosféricas, temos visto no mercado a substituição de óleos combustíveis por gás natural ou GLP (gás liquefeito de petróleo) por questão de uma queima mais completa e redução na carga poluidora, reduzindo o impacto ambiental. Estas medidas são benéficas ao meio ambiente e por outro lado, reduzem os investimentos necessários para atender a legislação ambiental com relação a materiais particulados, NOx, SOx e outros contaminantes provenientes do óleo.
Nos processos de combustão, há necessidade de se fazer uma regulagem periódica dos queimadores e avaliar a sua eficiência de queima, evitando a emissão de substâncias não desejáveis ao ar atmosférico.
Portanto, podemos verificar que o gerenciamento ambiental dentro da indústria pode trazer benefícios e redução de gastos com destinação final de resíduos sólidos, efluentes líquidos e até com as emissões atmosféricas que possam prejudicar o meio ambiente.
Salientamos que os recursos naturais são finitos, e com estas medidas de redução de consumo podemos colaborar com a melhoria do nosso bem estar, de nossos filhos e de nossos netos.
Mensagem: Às vezes pensamos por que eu devo economizar se o meu vizinho não economiza? Por que eu devo atuar no meio ambiente se meu vizinho não o faz? Lembre-se, para o meio ambiente, fazer pouco é mais sensato do que não fazer nada. Nossas ações e cuidados com o Meio Ambiente trazem no mínimo dois resultados diretos: Economizamos nosso dinheiro e preservamos a natureza.
Por Eng Ricardo Saad



ver mais